Tendências de content marketing no setor do turismo

Tendências de content marketing no setor do turismo

Viajar é criar verdadeiras experiências de vida. Mas a viagem não começa só quando estamos de malas prontas. Começa logo no momento em que estamos a planear as férias e, claro, nos conteúdos que vamos consultar. Se os conteúdos sobre turismo forem inspiradores, ficam na nossa mente e começam por nos transportar virtualmente numa viagem que acabará por se concretizar.

A prova de que tudo começa com uma viagem no mundo digital é a popularidade das páginas relacionadas com o mundo do turismo. Na semana em que se comemorou o Dia do Turismo (27 de setembro), o Netpanel meter da Marketest divulgou dados mostrando que entre janeiro e agosto deste ano mais de 3,5 milhões de utilizadores acederam a websites de turismo, o que corresponde a 60,8% dos internautas nacionais.

Contas feitas, no mesmo período foram visitadas 226 milhões de páginas de websites de turismo, uma média de 63 por utilizador, num tempo total médio de navegação nestes web sites de 1 hora e 21 minutos por utilizador.

As empresas e os agentes da área do turismo sabem, por isso, que há um público predisposto a ‘consumir’ conteúdos nesta área e a aposta tem sido feita com vários casos de sucesso. Tudo tem de começar com uma boa estratégia de content marketing que não pode esquecer uma boa análise do público-alvo e nem os seguintes pontos-chave:

  • A aposta deve recair na criação de conteúdos originais e de qualidade, sem a preocupação de divulgar produtos e serviços, mas sim de ir ao encontro dos desejos e dos sonhos de quem quer viajar. É importante não esquecer a informação utilitária que ajuda a resolver dúvidas e problemas em matéria de viagens e férias.
  • Há vários tipos de conteúdos que atraem os utilizadores consoante a fase do processo em que se encontram: à procura de ideias de viagem, à procura de estadia e à procura do que há para ver e visitar nos locais de destino das suas férias. As empresas do setor que querem ter maior visibilidade têm de apostar nestas três áreas.
  • A decisão sobre uma viagem nem sempre é um processo fácil, envolve planeamento, dinheiro e tempo. A importância dos conteúdos começa logo nesta fase, podendo dar dicas e informações úteis que ajudam as pessoas a fazerem escolhas.
  • Tratando-se de uma escolha que envolve uma relação emocional com os destinos e algum investimento, as pessoas querem ter o máximo de conhecimento possível sobre os locais que querem visitar e também sobre a estadia. Nesse sentido, é muito importante disponibilizar boas fotografias e galerias fotográficas. A experiência do utilizador ganha ainda maior impacto se em vez de conteúdos estatísticos for possível disponibilizar conteúdos interativos acessíveis nos dispositivos móveis.
  • Trabalhar com influencers que são convidados a viajar para os destinos de eleição, numa experiência que pode ser partilhada a par e passo pela comunidade de seguidores é também muito importante. Foi o que fez a cadeia de hotéis Marriott.
  • Criar conteúdo não tem de ser uma tarefa apenas de uma equipa de produtores profissionais de conteúdos. Publicar as fotos, as histórias e as aventuras dos fãs ou dos clientes permite gerar um grande envolvimento com a marca. É isso que faz o Turismo da Austrália.
  • A aposta em conteúdos deve ser muito diversificada em termos de formatos para poder criar várias experiências. É importante escrever artigos para um blog, publicar vídeos e imagens, mas também é importante apostar em vídeos, em infografias, em guias fáceis de ler e de descarregar ou mesmo em podcasts são apenas alguns exemplos.
  • É importante apostar numa diversidade de canais: ter um blog ou uma revista permite criar uma imagem e uma linguagem própria, com a qual é possível criar identificação e empatia. Mas é preciso não esquecer a importância de publicar conteúdo patrocinado num media, já com uma vasta audiência, e estar presente nas redes sociais. É aqui que as marcas conseguem interagir verdadeiramente com os seus seguidores.
  • A comunicação com os potenciais clientes não deve ser feita apenas no verão. Deve ser feita durante todo o ano para que as pessoas possam idealizar e planear as suas férias com tempo.
  • Nunca esquecer as ferramentas de analytics. Permitem perceber quais os conteúdos próprios que estão a ter mais visitas ou interações, mas também analisar todos os passos de um utilizador. Saber qual o caminho percorrido desde o momento da pesquisa até à chegada ao site e à compra é um dado fundamental para perceber qual a melhor forma de captar a atenção dos potenciais clientes.

 

Fotografia por Mantas Hesthaven / Unsplashed

Blandina Costa
Conheça o autor / Blandina Costa

Editora e diretora-geral da Webtexto.