Vasco Marques: “A produção de conteúdos é fundamental numa estratégia de marketing digital”

Vasco Marques: “A produção de conteúdos é fundamental numa estratégia de marketing digital”

Os conteúdos são uma das peças mais importantes numa estratégia de Marketing Digital, mas há muito mais áreas onde as empresas têm de apostar para conseguir ter uma presença eficaz no mundo digital. E esta aposta tem de ser feita já, segundo Vasco Marques.

Quem não entrar agora [no digital] de uma forma consistente e profissional, vai perder o comboio – não haverá segunda oportunidade“, diz o especialista e formador em Marketing Digital. Para Vasco Marques estamos mais perto da maturidade no digital, mas ainda há muito mais a fazer. “A melhor palavra que encontro para caracterizar o estado atual é: explosão“, resume.

Autor de vários livros como Marketing Digital 360, Redes Sociais 360 e Vídeo Marketing, Vasco Marques tem assumido como missão partilhar conhecimento, experiências e soluções. Com esse intuito lançou o projeto Vasco Marques – Digital Academy para dar resposta às pessoas que desejam especializar-se na área do Marketing Digital. Uma área em crescimento em Portugal, onde ainda faltam profissionais especializados e experientes em diversas áreas.

 

Como avalia o estado do Marketing Digital em Portugal? Em que fase estamos atualmente? Já podemos falar em maturidade ou ainda estamos longe dessa fase?

Estamos mais perto da maturidade, mas ainda há muito a fazer. A melhor palavra que encontro para caracterizar o estado atual é: explosão. Estou no digital desde os primórdios e acompanhei profissionalmente todas as fases. Agora é que as empresas estão a querer entrar a sério. Quem não entrar agora de uma forma consistente e profissional, vai perder o comboio – não haverá segunda oportunidade.

 

“Agora é que as empresas estão a querer entrar a sério [no digital]. Quem não entrar agora de uma forma consistente e profissional, vai perder o comboio – não haverá segunda oportunidade.”

 

Temos falta de recursos especializados em Marketing Digital? Mais especificamente, em que áreas do Marketing Digital é que há maiores lacunas?

Sim, há falta de profissionais especializados e experientes em Marketing Digital. Em todas as áreas, como por exemplo: Estratégia, Redes Sociais, Conteúdos, Google Marketing, Gestão de Websites, Analítica e Otimização de Performance. Acontece que uma boa parte dos negócios aplica o superficial, de uma forma desestruturada ou não integrada. Por vezes, só nas formações ou consultorias é que percebem que o potencial de resultados é muito superior ao que imaginavam.

 

Fazendo formação em todo o país e recebendo vários tipos de profissionais, em que regiões do país e em que setores é que há mais falhas?

Já percorri todos os distritos de Portugal com eventos e formações, captando vários tipos de empresas e profissionais – foi uma experiência muito enriquecedora. Como seria de esperar, de uma forma geral, no litoral e nas grandes cidades há mais dinamismo. Portanto mais acesso a formações e mais concentração de empresas preparadas para a Era Digital. Existem alguns setores mais adormecidos, nomeadamente aqueles em que utilizam canais de comunicação e transações uma forma mais tradicional e offline.

 

“(…) no litoral e nas grandes cidades há mais dinamismo. Portanto mais acesso a formações e mais concentração de empresas preparadas para a era digital.”

 

Quais são os erros que as empresas mais cometem quando implementam uma estratégia de Marketing Digital?

Os erros mais frequentes com que tenho me deparado são: depender apenas de uma rede social, estar no Facebook sem um planeamento de investimento em anúncios de uma forma consistente, não integrar os vários meios digitais, não investir em Google Marketing e não trabalhar o relacionamento digital.

 

Quais são os recursos digitais mais críticos numa estratégia de Marketing Digital?

A produção de conteúdos é fundamental, de uma forma ajustada e adaptada a cada plataforma digital. O primeiro passo é normalmente o website, pois é a plataforma que é controlada totalmente pelo negócio e permite posteriormente integrar nos vários meios digitais. As redes sociais permitem posteriormente uma propagação e interação com o seu público-alvo. Deve também trabalhar o posicionamento nos motores de pesquisa.

 

“A produção de conteúdos é fundamental, de uma forma ajustada e adaptada a cada plataforma digital.”

 

Em que pontos da estratégia de Marketing Digital é que os conteúdos são realmente importantes?

No website e Social Media são mais importantes. Vão impactar nas reações do utilizador, interação social, posicionamento nos motores de pesquisa e resultados das campanhas de publicidade.

 

No seu livro separa o Vídeo Marketing do Content Marketing. Porquê?

Bem observado! Em bom rigor, o vídeo faz parte de Content Marketing. Foi separado, dada a enorme ramificação de possibilidades que o mundo do vídeo nos apresenta. Adicionalmente, facilita ao leitor entrar no mundo do vídeo, de uma forma mais bem estruturada e organizada.

 

As marcas e os negócios já perceberam a importância de ter um bom Website?

Teoricamente sim. Mas nem sempre é implementado da melhor maneira. É importante que cumpra bem a sua missão (de conversões ou outros objetivos). Tem de ser mobile, rápido (abrir em menos de 3 segundos), converter e proporcionar uma boa User Experience.

 

As redes sociais já são consideradas um elemento fundamental nas estratégias das empresas. Quais são as redes sociais em que faz mais sentido as empresas portuguesas estarem presentes? Há redes sociais incontornáveis?

Há sim. De uma forma geral, sem particularizar, é fundamental estar presente nos principais Social Media em Portugal: Facebook, Instagram e YouTube. Depois, naturalmente existem atividades onde pode ser importante outras redes sociais, como o LinkedIn, Twitter ou outras. Estar bem em apenas numa, já é um desafio grande, mas na verdade não chega.

 

Quais são as características particulares das redes sociais mais importantes para o público português?

Procuram essencialmente um local para interagir com amigos, inspiração, acompanhar notícias e marcas. O Facebook proporciona facilmente todas as opções – é, de longe, a mais utilizada com 2,2 mil milhões de utilizadores ativos mensalmente. O Instagram tem adeptos mais jovens e que procuram inspiração e conversação com amigos. O YouTube proporciona entretenimento ou informação específica.

 

Ainda é evidente que as empresas decidem entrar nas redes sociais sem uma estratégia definida? Ou já começa a ser percetível uma mudança?

Ainda acontece, mas caminhamos para uma mudança. Um erro muito frequente é não se preocuparem com uma estratégia de conteúdos alinhada com os interesses do seu público-alvo – muito difícil mudar este paradigma.

 

“Um erro muito frequente [no digital] é não se preocuparem com uma estratégia de conteúdos alinhada com os interesses do seu público-alvo – muito difícil mudar este paradigma.”

 

Qual a importância de criar campanhas criativas num mundo de conteúdos pagos?

É cada vez mais desafiante ser merecedor de alguns segundos de atenção do utilizador. Há que ser criativo. Mas não se pode ficar por aí, é obrigatório investir em anúncios de forma eficiente.

 

Quais são as redes sociais que apresentam as soluções mais eficazes para as empresas produzirem conteúdos pagos?

O ideal é criar campanhas no Facebook e Instagram, para impactar diferentes públicos e de formas diferentes. Mas o Facebook, para a maioria dos negócios, é a rede social que consegue trazer mais resultados em campanhas pagas.

 

Há muitos anos a fazer formação em Marketing Digital, recentemente lançou uma nova formação: o Master Digital 360. Qual é o fator diferenciador desta formação?

Surgiu no seguimento de um novo projeto: Vasco Marques – Digital Academy. Dirigido a quem deseja especializar-se em Marketing Digital, com uma oferta formativa muito abrangente.  Disponível no formato presencial, online ou blended, numa experiência imersiva, prática e orientada para resultados.

O Master Digital 360, reúne um conjunto de características únicas no mercado. A metodologia aplicada na formação, permite proporcionar uma experiência formativa de excelência:

  • Diagnóstico de conhecimento, para definição de percurso formativo;
  • Interação envolvente com gamification, para aprendizagem estimulante;
  • Materiais, recursos e oferta de livros que enriquecem a aprendizagem;
  • Atividades de grupo, imersão prática, casos reais e desafios competitivos;
  • Plataforma digital para conteúdos extra, suporte e interação;
  • Avaliação de competências e atribuição de certificado reconhecido (DGERT).

 

Porque sentiu necessidade de lançar esta formação nestes moldes?

É uma resposta às necessidades atuais do mercado. No seguimento do contacto com muitas pessoas e empresas, percebi que atualmente precisam de um programa de especialização completo, mas de curta duração e com um conjunto de características.

 

 

Vasco Marques é especialista em Marketing e fundador da empresa Web2Business. Foca a sua atenção no Marketing Digital, onde desenvolve consultoria e formação certificada em regime online e presencial e é docente em várias pós-graduações. Com formação superior na área da Gestão, tem um MBA em Sistema de Informação e e-Business e, para além de formador, consultor e empreendedor, também é autor dos livros Marketing Digital 360, Vídeo Marketing e Redes Sociais 360.

 

 

Webtexto, Content Marketing, Vasco Marques, Marketing Digital, Produção de conteúdos

 

Bruno Santos
Conheça o autor / Bruno Santos

Produtor e gestor de conteúdos da Webtexto.