Mercados financeiros: porquê integrar conteúdos informativos

Mercados financeiros: porquê integrar conteúdos informativos

Todos os investidores em mercados financeiros sabem bem qual a importância de ter conteúdos de qualidade e na hora certa. Trata-se de notícias que fazem mexer os mercados. Por isso, ter acesso a estas, atempadamente, pode fazer toda a diferença na hora de medir o sucesso ou insucesso dos investimentos. Mais digitais do que nunca, os investidores dão cada vez mais valor a esta via e tendem a ser mais ativos quanto maior é o contacto digital. 

“A utilização dos canais digitais pelos consultores financeiros para contacto com o cliente está diretamente relacionada com o aumento do investimento”, concluiu a J.D. Power num inquérito recente. E acrescenta: “os consultores que usam frequentemente as comunicações digitais (quatro ou mais pontos de contacto), como email / texto / online / vídeo, têm 50% de mais probabilidades de observar um aumento no investimento dos clientes do que quando não há nenhum contacto digital.”

Neste contacto digital, há um conteúdo fundamental e que potencia o envolvimento: as notícias e a análise sobre os mercados financeiros. 

Melhores práticas na comunicação digital com os investidores de mercados financeiros

Segundo a Dow Jones Newswires, agência de notícias especializada em mercados financeiros, há um conjunto de boas práticas que podem ser aplicadas no âmbito da disponibilização de notícias financeiras e económicas que permite gerar o envolvimento de quem investe.

1 – Oferecer uma experiência personalizada e relevante

No contexto atual, a avalanche de informação e a quantidade de dados produzidos diariamente faz com que os investidores precisem de informação atempada e relevante. Ao mesmo tempo, estes esperam que a experiência seja o mais personalizada possível. Daí a importância de disponibilizar conteúdo fiável na hora certa, que seja contextualizada com o porquê dos movimentos do mercado. Só assim é possível gerar confiança.

Por exemplo, as notícias sobre os resultados de empresas tornam-se irrelevantes se não incluírem as expectativas do mercado ou a comparação com a concorrência. Ao mesmo tempo, para melhorar a experiência do investidor, é importante não só divulgar os resultados na hora exata, mas também ter acesso a comentários aprofundados à medida que o mercado de capitais vai processando a informação, bem como a análise e a opinião de analistas no pós-resultado.

2 – Ir além dos resultados das empresas 

“Muitos responsáveis de negócio e de desenvolvimento pensam primeiro nas notícias de resultados porque são mais fáceis de integrar através dos códigos, mas os investidores estão interessados numa diversidade de conteúdos mais abrangente”, refere o responsável de produto da Dow Jones. Nesta diversidade de conteúdos, que faz parte dos diversos tipos de mercados financeiros, cabem o comentário e a análise, mas não só.

Entre as categorias de informação mais importantes encontram-se:

  • Breaking news: notícias em primeira mão e sobre fusões e aquisições têm um rápido impacto no mercado e levam os investidores a agir.
  • Eventos agendados: datas de apresentação de resultados ou dias do investidor têm um grande peso no mercado de ações.
  • Indicadores económicos: dados sobre o emprego, as decisões de taxas de juro e outros indicadores económicos têm um grande potencial de impacto no mercado.
  • Análises de setor: os acontecimentos no âmbito dos vários setores de atividade podem afetar uma grande variedade de ações e as análises dos especialistas podem dar insights importantes.

Além dos feeds de notícias sobre ações e mercados financeiros, os briefings ou resumos – disponibilizados muitas vezes através de newsletters – são uma forma simples e eficaz de dar aos clientes uma cobertura alargada dos eventos e das notícias num formato acessível. Desse modo, os investidores podem tomar decisões informadas sem precisarem de consultar múltiplos websites e diversas notícias. Mais, estes briefings podem incluir outros conteúdos relevantes como calendários económicos ou mesmo outros tópicos de interesse da audiência.

3 – Reduzir os problemas de integração 

Uma perfeita integração dos feeds de notícias de mercados financeiros com os workflows do investidor pode ajudar a melhorar as taxas de conversão e, como tal, a receita dos ativos. Daí a importância de tirar partido dos códigos e dos metadados dos feeds para classificar o conteúdo e organizá-lo em grupos facilmente acessíveis.

Uma perfeita integração permite, por exemplo, que se possa estar a ler uma notícia na plataforma de negociação e, diretamente daí, fazer uma transação. Pode, além disso, criar um alerta para acompanhar os artigos de uma determinada ação ou indústria.

4 – Aumentar o envolvimento com conteúdos visuais

Quando estão a tomar decisões, os investidores precisam muitas vezes de materializar o que estão a ler. Por isso, sempre que um conteúdo mais visual – gráfico ou infográfico – conseguir mostrar de uma forma mais imediata o que explicam textos e tabelas de números, melhor para o envolvimento. Dessa forma, não é necessário sair para procurar dados noutros locais. 

5 – Contactar com os investidores em vários canais

As plataformas de trading precisam de gerar envolvimento com os investidores através de vários canais, não apenas do website ou da aplicação móvel. Têm também à disposição outras ferramentas como o email ou as redes sociais, mediante as quais podem comunicar com os investidores e fazê-los regressar à plataforma. 

Para gerar interesse e serem eficazes, estas plataformas podem incluir notícias e análise relevantes para quem se move nesta área. Assim, alimentam a relação com os clientes e mantêm-nos ativos.

Existem, além disso, outros conteúdos importantes que as instituições financeiras podem partilhar. No final de contas, importa aliar a qualidade de informação, a análise e os comentários às plataformas intuitivas aos conteúdos visualmente apelativos e a um conjunto de canais de comunicação. Desse modo, é possível promover a relação e atrair os investidores, mantendo-os envolvidos e ativos.

A Webtexto produz o serviço português da Dow Jones Newswires. Aposte na integração das notícias e da análise dos mercados financeiros para envolver os investidores e dar-lhes uma experiência de excelência.

Blandina Costa
Conheça o autor / Blandina Costa

Editora e diretora-geral da Webtexto.