Como é que as marcas devem comunicar na era digital?

Como é que as marcas devem comunicar na era digital?

A comunicação deixou de estar centrada nos produtos ou serviços de uma empresa, ou na própria empresa, para estar centrada nos clientes e potenciais clientes. Isto exige muito mais trabalho por parte das organizações, que precisam não só de ser especialistas na área dos produtos e serviços que vendem, mas também de conhecer a fundo os seus clientes e potenciais clientes. O que precisam? Do que gostam? Como se comportam? E, depois, como conquistar a sua atenção?

Neste contexto, já não basta produzir press releases a anunciar eventos tão importantes para a empresa como novos produtos ou serviços ou mesmo a conquista de novos mercados, esperando que os media decidam dar relevância noticiosa aos temas. Nem mesmo o facto de ser publicado num media é a garantia de que tenha chegado a quem a informação se dirige.

As empresas e as marcas têm sobretudo de comunicar com as pessoas onde elas estão, online. Conseguem, assim, conquistar credibilidade e lealdade junto dos seus clientes e potenciais clientes através da produção de conteúdos. Neste contexto, os marketers de sucesso são aqueles que pensam e agem como publishers, com o grande objetivo de produzir conteúdo para uma audiência muito bem definida.
Afinal, como podem as empresas comunicar nesta era dos conteúdos?
Através de quatro meios principais:

News releases

Divulgação de informação útil sobre a empresa, caso de novidades sobre os produtos e serviços, etc. e que é disponibilizada diretamente aos clientes e também aos media e aos jornalistas. Daí a importância cada vez maior de ter uma área de media no website, onde os news releases estão sempre disponíveis para consulta, onde se nota uma grande preocupação em respeitar regras importantes da presença online, como SEO, keywords, introdução de call-to-action.

Media

A presença das empresas e das marcas nos media deve ser garantida não só através da cobertura que os media, por sua iniciativa e mediante divulgação de factos novos, fazem da atualidade, mas também através de conteúdo pago, caso do conteúdo patrocinado. Neste caso, as marcas e as empresas pagam para terem espaço com destaque nos media digitais, aproveitando a audiência desses meios para chegar a mais pessoas.

Meios próprios

Através da criação de websites, microsites, blogs, mas também através de newsletters e das redes sociais, as marcas e as empresas gerem os seus próprios meios de comunicação diretamente com a sua audiência (clientes e potenciais clientes). Estes conteúdos devem ter um caráter utilitário – ajudando as pessoas a resolverem os seus problemas ou a dar dicas de como fazer -, contar histórias que permitem criar um grande envolvimento com a marca e gerar identificação, mas também conteúdos que mostram o expertise dos profissionais de uma empresa ou marca e que geram a confiança de quem interage com os conteúdos. Podem também ter um caráter mais lúdico ou de entretenimento quando estamos perante, por exemplo, algumas redes sociais.

Meios de outrem

A recomendação é, cada vez mais, uma ferramenta incontornável na era digital, onde as pessoas optam por seguir as indicações das pessoas em quem confiam. Bloggers ou Youtubers com legiões de seguidores passaram a ser, por isso, um meio importante de as marcas chegarem à sua audiência. São os chamados influencers, alguns dos quais ganharam reputações dignas de estrelas do cinema ou do futebol.

Transversal a estes quatro meios são os skills e as ferramentas necessárias para poder desenvolver e aplicar uma estratégia eficaz baseada nestes quatro pilares. Importa saber que ferramentas usar para conhecer e definir as personas (pessoas-tipo), dominar as várias plataformas, saber produzir conteúdos interessantes, saber captar e gerar leads e, claro, avaliar o impacto de toda a estratégia.

Este é um trabalho que podem desenvolver internamente ou com a ajuda de agências especializadas, sendo certo que o importante é começar a trilhar um caminho!

Imagem por Markus Spiske – Unsplash

Blandina Costa
Conheça o autor / Blandina Costa

Editora e diretora-geral da Webtexto.